Canção de Amor

As Frenéticas

Compositor: Astor Piazzola / Geraldo Carneiro

Ai, o amor é uma caixinha de surpresas
Um tigre de papel, uma tortura
Um jogo delicioso, uma armadilha
Que faz do criador a criatura

Ai, o amor é como um quarto de despejo
Um coelho que se esconde na cartola
Um grito silencioso de desejo
Um bolerão tocando na vitrola

Ai, o amor é como o gesto de um toureiro
Que ordena que a platéia se comporte
Enquanto a orquestra ataca um passo " double "
E sabe que caminha para a morte

Ai, o amor é uma colher de anfetamina
Uma mulher que aprende sem malícia
As regras delicadas do brinquedo
Uma cachaça, um caso de polícia

Ai, o amor é o delírio da torcida
Um fim de festa, louca fantasia
O lance que desvenda a face oculta
E o canto desvairado da alegria

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital